quinta-feira, 6 de março de 2008

A Consciência

Foto retirada de Ars Lusa

Hoje partilho um texto do Paulo, do blogue È a loukura


As máscaras que pomos e as condicionantes sociais impostas levam-nos a viver uma vida em desacordo com o nosso “eu” mais profundo. Antes de mais devemos ser fiéis a nós próprios...Tal como Cristo, devemos ter “Coluna Vertebral”. Isto não significa um relacionamento social e interpessoal aparte do que é socialmente estabelecido. É desde logo um desafio às nossas convicções e forma de estar na vida. Não é fácil seres tu, mas só tu podes tornar fácil que a tua consciência, o teu “eu” mais profundo, seja fiel aos princípios que elencaste para a tua vida.E dizia alguém:- Eu não vivo com grandes coisas...Que pode cada vez mais significar que grandes coisas vivem em ti...Esse desprendimento assumido e vivido com uma alegria genuína é um sentimento que nos coloca em sintonia com a energia do mundo e a mensagem de Cristo. Na nossa vida, esta terrena que conhecemos, seremos mais felizes quanto mais desprendidos nos fizermos... e também este é um processo, um caminho, uma luta feita de avanços e recuos... tens caminhado?Vives com grandes coisas?...Que grandes coisas vivam em ti...




Aproveito para relembrar o que nos diz a Gaudium et Spes, no seu ponto 16, sobre a consciência:


No fundo da própria consciência, o homem descobre uma lei que não se impôs a si mesmo, mas á qual deve obedecer; essa voz, que sempre o está a chamar ao amor do bem e fuga do mal, soa no momento oportuno, na intimidade do seu coração; faz isto, evita aquilo. O homem tem no coração uma lei escrita pelo próprio Deus; a sua dignidade está em obedecer-lhe, e por ela será julgado. A consciência é o centro mais secreto e o santuário do homem, no qual se encontra a sós com Deus, cuja voz se faz ouvir na intimidade do ser.

2 Comments:

al cardoso said...

Desde que me conheco como individuo, tenho tentado ser o "eu" com os meus defeitos e virtudes e, com o interesse superior de servir mais do que servir-me. No entanto esta minha forma de estar na vida, tem-me por vezes causados alguns amargos de boca e ate prejuizos! Mas nao ha nada como deitarmo-nos todos os dias, com a conciencia de que algo fizemos, para melhorar um pouco que seja este nosso mundo!

Um abraco de amizade dalgodrense.

Ps: Caso tenha ido a conferencia da ERA, gostaria que compartilha-se comigo a informacao sobre a "Necropole de Algodres", desde ja ja o meu sincero bem haja.

al cardoso said...

Boas e Santas festas pascais!

Um abraco de amizade dalgodrense.